26 de mai de 2009

Tempo perdido

Estou maravilhado!Começei a perceber que meus queridos amigos estão dando passos importantes para o que desejam , estou vendo os primeiros empregos , estágios , a vida ficando agitada , a faculdade fazendo alguns penarem outros começando a participar do meio político.

Nossa isso é lindo, mas começei a perceber também que agora não os vejo tão mais assim, o mundo está tomando conta do nosso tempo e as brincadeiras na sala de aula já eram, os encontros até acontecem, embora sejam poucos que possam comparecer e os quais conseguimos avisar.Me afastei de vários , cada um tomando o seu caminho.Não sei parece que está díficil de vê-los com frequência,e com essa diminuição de frequência parece que perdemos a frenquência um com o outro mesmo, não gostamos mais das mesmas coisas , sei lá , não temos muitos assuntos, todavia nós ainda nem tivemos nossos filhos , nem ao menos nos casamos.Caramba! Quando estivermos casados então , já era. Não vamos mais ter tempo um para o outro.Nossas visitas serão talvez somente nos aniversários , se der pra ir.

Estamos cada vez mais longe , parece que a vida aproximou agente para separar depois , mostrar como somos diferentes um do outro, não sei.Na oitava série parecia tudo igual ,sim , é verdade uns gostavam de matemática outros de português e alguns até de biologia e química, mas era só isso.Será que foi isso que colocou agente tão longe um do outro?

Bom , só sei que era incrível aquela época, aliás era bem crível mesmo , todo mundo tem essa época , as brincadeiras , as risadas , as descobertas , as aulas com os professores chatos, as expulsões e até aquelas fofocas da festa de 15 anos do sábado passado.Caramba, faz pouco tempo , mas parece tanto.Queria viver aquilo de novo.

Nossa era tão bom os olhos da ignorância que eu tinha , pensava que aquilo nunca ia acabar e era papo da minha mãe que eu tinha que estudar,pois,meus amigos não iam estar para sempre comigo no futuro e o que ia importar era o estudo.Mas, acho que as amizades valeram , caso não as tivesse o que eu ia ter para reclamar agora , né?

Cezar Eduardo March Farias Segundo

12 de mai de 2009

Resgate - Apocalipse Now

Um dia sentado meditando
Procurando respostas
Pra essa grande piração
Morte, guerra, destruição
AIDS, câncer, solidão
Seu eu fosse você não iria dormir tão cedo
Porque eu não sei se você vai
Acordar no horário marcado
Dois numa cama, um será levado
No céu haverá aviões desgovernados
E pilotos também arrebatados
Na terra grande confusão
O que será que a todos engoliu?
O padeiro, a secretária, o motorista, o jornalista
O executivo e as crianças sumiram, sumiram
Na esquina do pecado o assunto então mudou
Todos confusos se perguntam
Onde estão os caretas malucos
Que contavam uma nova história
Que contavam uma nova história
Dizendo que o Filho do Homem viria para levá-los
A um outro lugar
No ouvido um grande alarido
Sinto a orquestra celestial
As trombetas fortes soaram
A ordem da volta foi selada
Os cavaleiros do apocalipse
Preparam sua montaria
A grande batalha, sinto, vai começar
A hora do mal a gente ve acabar
O fim está chegando e a mensagem foi passada
Olhe os sinais, pense que a chance foi lhe dada
Levante a mão e no fim comece o início
De uma nova vida

1 de mai de 2009

O ILÓGICO

As sociedades, acho que desde de sempre, porque não pode ter sido só a partir do Iluminismo, pensam logicamente. Isto é, buscam explicações na simples relação causa e efeito. Uma coisa meio Newton, meio behavorista. Só que, cara, as coisas não tem que fazer sentido nem significar nada. O significado, somos nós, humanos, que atribuímos às coisas. Ele não é intrínseco a elas. Daí tanto símbolo no mundo, ou signo não-verbal. O que eu quero dizer é que o que existe se basta na sua existência. Como a arte. Não necessita de análises. Não precisa de que se fique procurando razões. Não racionalizemos. Quem faz sentido é soldado.